terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Graças aos olhos

Boa parte das imagens que vemos são processadas nos próprios olhos, e não no cérebro. Graças a isso, detectamos, com alguns segundos de antecipação, a posição que determinado objeto em movimento ocupará em seguida. Se os nossos olhos funcionassem como câmeras fotográficas, captando apenas as imagens para o cérebro identificar, veríamos sempre com atraso a posição dos objetos em movimento porque o processo demoraria algumas frações de segundo e o risco de colisões aumentaria muito. Por exemplo, um automóvel andando a 40 Km/h seria percebido um metro atrás da sua verdadeira posição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário